sexta-feira, 13 de julho de 2012

Direto de Chatillon: Entrevista de Asamoah.



Começou hoje o ciclo de entrevistas coletivas da Juventus e o primeiro chamado ao salão de conferências do hotel onde está o time bianconero em Chatillon, foi o meio campista Kwadwo Asamoah. Confira a entrevista na integra:

Transferência da Udinese para a Juventus pode mudar um pouco a tua carreira, a tua história futebolística, porque é um salto de qualidade. Quais são as tuas espectativas? O que te chamou mais atenção já que faz parte de uma realidade mais importante em relação a que estavas acostumado?
"Primeiramente gostaria de dizer que estou muito contente de estar aqui, sou um jogador que quer ir adiante e estou em uma equipe muito forte na Itália e no mundo. Estou contente e fare tudo para ajudar estar equipe".

Neste mês, muitos te compararam a Vidal. Agora que o conheceu, é um pouco o modelo Vidal?
"Sabe, ele é um jogador muito forte. Vi muitas partidas suas quando estava na Udinese e ele é um jogador que me agradou muito. Agora estou aqui mas ele é um jogador um pouco diferente. O importante para mim é poder dar tudo aos meus companheiros."

Gostaria de saber qual a tua posição. A Juventus no ano passado mudou o módulo algumas vezes. Onde tu te sente melhor? E por fim, gostaria de saber como os jogadores te chamam em campo...
"Quando eu estava na Udinese jogavamos no 3-5-1-1 e algumas vezes no 4-3-3. A minha posição preferida é de fazer o volante pela esquerda mas posso jogar em outras posições como a ala esquerda. Em campo, meus companheiros me chamam de Asa".

Quanto foi importante pelo teu crescimento trabalhar com um treinador como Guidolin? E depois se te recordas de Appiah, um outro jogador de Gana que vestiu a maglia da Juventus...
"Sim, sabes que na Udinese tivemos muitos jogadores ganêses, Muntari, Appiah, Gargo e Gyan Asamoah... Também cheguei ali e fiz tudo que um jogador gosta. O primeiro ano foi difícil também pela língua mas quando aprendi cresci muito. Guidolin é um treinador que me agradou muito dentro e fora do campo. E me chamava quando queria que melhorasse em alguma coisa e dizia especificamente o que fazer".

Como foi o acolhimento da gente? Tivemos a impressão de serem muito carinhosos com você. O que pensas sobre após a sua chegada e a de Isla, se fale também de Armero. É um outro valor da Udinese que quer vir para a Juve?
"Isla, Armero e eu eramos jogadores muito importantes para a Udinese, mas isto é o futebol, deves olhar pra frente para ir para um grande clube que é um objetivo de um jogador. Isla e eu estamos aqui e estou muito, muito contente. Estou aqui há dois dias, ontem treinamos e ouvi os torcedores chamando... Asamoah... Asa... E me agradou muito. Me sinto melhor e muito orgulhoso de estar aqui porque os torcedores me querem bem".

Tu falou da tua posição e é a mesma de Marchisio. Obviamente temos o campeonato e a Champions mas temes ir pro banco de reservas? Estas preparado para esta eventualidade?
"Não, não temos. O futebol não é uma só pessoa, somos uma squadra. Estou aqui para ajudar; Se entre os onze ou no banco, não tem problema. Estou aqui para dar o máximo".

Quando soubestes que viria pra Juve? Outras equipes te procuraram antes dos bianconeri?
"Quando eu estava na Udinese, o meu objetivo era de fazer bem para a Udinese porque eu estava ali. Mas depois do campeonato chegou a Juve e o meu objetivo vir para cá dizendo: "Ok, a Juve venceu o Scudetto e gostaria de ir pra lá".

Melhor a Champions ou o campenato?
"Para mim tudo é importante".

Nestes dias estamos vendo Ibra e Thiago Silva indo embora. Achas que o campeonato está perdendo algo? É uma Serie B em relação a English Premier League, a BundesLiga e a La Liga?
"Eu joguei cinco anos na Udinese e não sei como é nas outras ligas mas eu sou feliz aqui na Itália. Não sei dos outros, talvez tenham vontade de mudar, depende deles. Eu quero estar aqui".

No primeiro impacto, em que é diferente a Juventus da Udinese?
"São muitas coisas diferentes pela grandeza da Juve. A Udinese não é pequena mas eu fui bem ali e fiz tudo que podia. Agora estou aqui e devo fazer ainda mais pelo local. Este é o meu objetivo".

Conte viste pouco. Como está o time sem Conte? Existe a preocupação?
"Não. Antes das férias falei com ele e também com Isla. Ele me conhece por ver a Udinese. O treinamento é outra coisa mas me conhecia pelas partidas. Agora está ausente e não tem problema".

Antes de Conte ir embora, fez um discurso?
"Sim, antes das férias...".

Não, não, antes de ir pra Roma (depor sobre o calcioscommesse).
"Não, nã, nada. Só um alô, apenas isso".

Que jogador te agrada? 
"Quando eu era jovem, vi muitas partidas da Serie A... Pirlo é um grande jogador porque em tantos anos não mudou nunca. Emvelhece mantendo o mesmo nível".

Isla, Vidal, Pirlo, Marchisio e Asamoha. É o meio de campo mais forte do mundo depois do do Barcelona?
"Sabe, somos grandes jogadores. Isla, Vidal e eu somos jovens... Isla e eu estamos aqui para ajudar a Juventus. Viemos aqui para ajudar esta equipe e que façamos mais que fizemos pela Udinese. Estou convencido que a Juve crescerá ainda mais".

Tu começou a tua aventura italiana no Torino. Que lembrança tens? O que mudou para agora? Ainda tens amigos na cidade?
"O primeiro ano estive no Torino quatro ou cinco meses após a Copa Africana em Gana. Mas não tive a possibilidade de jogar. Algumas vezes no banco e muitas dificuldades. Depois joguei e agora estou aqui na Juventus. Agradeço a Deus por isto porque não acreditava que chegaria pelas dificuldades do primeiro ano".