sábado, 14 de julho de 2012

Direto de Chatillon: Entrevista de De Ceglie.


Terceiro dia de treinamentos começou com uma entrevista coletiva e uma especial.
Ele nasceu e cresceu no Val d'Aosta, por isso, treinando em casa, De Ceglie foi o convocado de hoje para a entrevista coletiva e nós do GiornaleBianconero.blogspot.com transcrevemos tudo.



Olá Paolo, a temporada passada terminou muito bem no nível da equipe. Para ti, houve uma lesão que talvez tenha te tirado a chance de ir para a Euro. Ficou em você um 'desgosto'? A Nazionale é um objetivo pessoal para a próxima temporada?
"Bem... Seguramente, esta pequena lesão me tirou qualquer possibilidade. Eu sabia porque era justo esperar. Depois acabou assim, mas de qualquer forma, agora começará a temporada e espero ter outras oportunidades".

Em que clima recomeça o campeonato? É possível sentir um pouco da atmosfera particular devido as coisas que aconteceram (repórter se referindo a Conte). Ou a concentração foi mantida? Conte disse alguma coisa particular sobre?
"Não, não falamos, nos vimos esta manhã e logo começamos a trabalhar, concentrados, determinados e sem pensar em nada diferente".

A Inter está vendendo diversos jogadores. O Milan está perdendo Ibra e Thiago Silva. Os outros jogarão apenas pelo segundo lugar?
"Não, não acredito. Antes de comprar, normalmente se vende; Estamos no início do mercado e certamente todas as equipes se reforçarão e todos suaremos".

Esta pode ser a temporada da tua consagração, em que te tornarás o titular da faixa esquerda da Juventus?
"Na Juve se está sempre em discussão, a cada ano que começa, sempre tem mais de um por posição e é a continuidade que  demonstra o valor do jogador. A continuidade é o meu objetivo, de chegar a cada ano, no início da temporada, vestir essa camisa e jogar pelo meu lugar".

Conte fez um discurso de dois minutos quando chegou. O que ele disse? Estavam todos tão concentrados...
"Falamos só do trabalho que fizemos nesta manhã e daquilo que será feito a tarde".

Que sensação tens por estar aqui, na tua casa, na tua região, uma zona que conheces bem?
"Isto pra mim é muito bom, até porque, quando era pequeno, vinha aqui pra ver a pré-temporada da primeira equipe e hoje estar do lado de dentro do campo é uma coisa muito bonita para mim. A minha família e todas as pessoas que conhece em Aosta".

Vistes Conte sereno e tranquilo depois do ocorrido de ontem?
"O ambiente é sereno, trabalhamos nesta manhã de maneira tranquila, sem nenhum problema. Os nossos objetivos são sempre o de mirar no topo, mas sabemos a dificuldade de que aconteça, acima de tudo com uma competição a mais para estarmos ainda mais prontos, por serem mais jogos".

Ziegler treina com vocês. Se fala de Armero e outros jogadores para a tua posição. É um incômodo ou um estímulo para você?
"Não, é sempre um estímulo. É o que eu disse antes, na Juve, não existem os favoritos, é justo que em cada posição tenhamos mais jogadores e com uma competição esportiva integral jogará quem é mais em forma no momento, quem merece mais, quem naquele momento pode dar mais pela equipe".

Qual foi a primeira Juve que você viu aqui? Que jogador da época que mais de agradava? Já pensavas em se tornar jogador?
"Era muito pequeno, certamente tinha Del Piero que sempre foi um dos jogadores que observei mais desde pequeno. E outro dia falei com alguns familiares e diziam que era estranho nos reencontrar justamente neste campo, há uns quinze anos parecia uma coisa muito difícil de se alcançar. Estávamos muito contentes com isso ".

Com quem vinhas ver a pré-temporada da Juve? Qual o nome?
"Com meu pai, Giulio".



O presidente Agnelli já falou com vocês? E eventualmente que palavra usou para um encorajamento para a temporada?
"Não, esta manhã nos comprimentamos rapidamente, até porque estávamos divididos em grupos de trabalho, então não teve um modo particular de escutar um discurso de início de ano".

Como é o teu relacionamento com os rapazes da Primavera?
"Nesta pré-temporada tem muitos e para eles deve ser uma oportunidade de se colocarem a mostra. Da nossa parte certamente é uma ajuda para sentirem o futebol entre os mais velhos e dar uma mão para melhorar já que principalmente a força é diferente".

Você torceu o joelho esquerdo na temporada passada. Como está? Pode fazer tudo já? Ontem você começou o coletivo...
"Sim, posso fazer quase tudo. Devo recuperar um pouco da força porque depois de uma cirurgia, mesmo que pequena, se perde um pouco de força. Então trabalho nisso, mas estou a disposição já".

Sobre Conte, ouvimos muita coisa nestas semanas. Teria senso uma Juve sem ele mesmo por poucas semanas?
"Não é um pensamento que temos. O nosso pensamento é que o mister é o nosso treinador e será por, espero, muitos anos".

Voltando a seleção, quais tu pensa serem outros jogadores italianos na tua posição que são superiores ou do mesmo nível?
"Na Nazionale são muitos jogadores que já jogaram na mesma posição, conhecemos todos, não devo listar. Mas tentarei me colocar em evidência para poder jogar as cartas também na Nazionale".

Sabia que antes do Europeu havia um interesse em você para aqueles testes de antes? Te avisaram que serias convocado?
"Não, não fui avisado, digamos que eu esperava uma ocasião para talvez jogar o Europeu. Depois, no entanto, teve esta pequena lesão e isto acabou".

Que efeito tem não ver Del Piero em uma pré-temporada da Juve depois de tantos anos?
"Certamente é um pouco estranho, porque não ver um ponto de referência como ele... Com certeza faz falta, mas teremos que nos acostumar".

O presidente no dia da apresentação da camisa disse que a escolha do número dez seria feita no vestiário, por vocês. Já decidiram?
"Não, é um ponto que nem tocamos, e nem sei se teremos... Não sei como funciona a coisa".