quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

O momento em que o dinheiro pesa mais do que devia

Dupla ainda tem chances de ser protagonista na Juve? (foto: Goal.com)
A carreira do jogador de futebol, praticamente afortunado de tal esporte, cujo o prazer de fazê-lo e ser pago para isso é o sonho de muitos, é repleta de momentos curiosos e de decisões a serem feitas não fáceis que um mundo também cheio de interesses propiciam. Quem teve a situação nas mãos para ser definida e talvez não tomou a decisão certa, foi a dupla Fabio Quagliarella e Sebastian Giovinco, da Juventus.

O mercado da bola costuma ser sempre o divisor de águas nos clubes de futebol do mundo todo, abrindo e fechando ciclos desde que as negociações se tornaram frequentes. Quagliarella talvez esteja com seu ciclo encerrado na Juventus e não é difícil perceber o porque. O camisa 27 chegou na Juve depois de briga com Walter Mazzarri no Napoli e saiu até hoje sem um motivo dito abertamente mas que é o citado acima. Sua ida para a Velha Senhora foi explosiva, com muitos e belíssimos gols até que em um jogo contra o Parma em 2010 ele sofre uma lesão total de ligamentos do joelho, Felipe Melo é expulso e a Juve perde em casa para o Parma (de Giovinco na época, que destruiu no jogo).

Quaglia volta e vence dois títulos com a Juve e nesta temporada, vendo suas chances cada vez menores, tem a chance de sair para a Lazio, vitrine importante, sendo titular desejado pelo presidente Lotito e treinador Reja e recusou para ficar em Turim apesar da Juve ter aceitado a negociação com o time da capital italiana. O estopim da relação veio com a exclusão do atacante da lista de inscritos para a UEFA Europa League, já criticada por torcedores e pelo agente do atleta. Quagliarella tem, talvez, um dos melhores chutes na Serie A, com média de arremates a gol muito boa, raramente eles vão longe do alvo mas taticamente pouco faz e já mandou o vice, Angelo Alessio (que comandou o time quando Conte esteve suspenso), para aquele lugar após substituição.

Giovinco é cria da Juventus, cresceu na base até sair para o Empoli emprestado, ir bem e negociado 50% do passe com o Parma. Depois de ir bem e chegar a seleção, Conte o chamou de volta e a Juve pagou acreditando na sua explosão no retorno ao lar. Seba não foi bem assim, deixando Conte visivelmente desiludido por tal ocorrido e que segue na lista UEFA porque é formado no clube. O camisa 12 teve propostas do Genoa e Bologna, equipes necessitadas, com carências técnicas que viam na "Formiga Atômica" uma peça chave para evitar a queda (especialmente o Bologna com a saída provável de Diamanti para o Guangzhou de Lippi, na China).

Ambos ganham boa cifra salarial por ano e recusaram acerto com outros clubes e um contrato talvez maior para ficar na Juventus e para que? Dinheiro? Sim. Salário mais alto, de fato com bônus possíveis do título italiano que pode vir. Na contra mão, deixam de ser titulares em outros clubes onde poderiam provar seu valor, mostrar que a comissão técnica da Juventus estava errada e irem para a Copa do Mundo pela Itália, vista a situação precária no setor de ataque do time de Cesare Prandelli.

Ao perderem espaço na hierarquia de Conte com a chegada de Osvaldo (que veio reduzindo salário e, como disse o treinador, para fazer a luta por posição crescer na setor ofensivo já que tem gente desmotivada pela luta), eles são, de maneira compreensiva, as últimas opções de ataque atrás do mesmo Osvaldo e Vucinic. Este último aceitou o fato de que não seria titular mas que lutaria... Acabou sendo negociado mas na última hora não foi pra Inter e não queria deixar a Itália (desde os tempos da Roma dizia isso pois mulher e filhos são italianos de nascimento), ergueu a cabeça e está firme no elenco, com os companheiros querendo ajudá-lo a marcar como foi na última rodada, justamente contra a Inter e que até Vidal disse que todos queriam que ele fizesse um gol na grande rival. Vucinic e Osvaldo serão os atacantes de Conte na Europa League contra o Trabzonspor enquanto Llorente e Tévez seguem firmes na titularidade para a Serie A e podem (mesmo sem total apoio da massa) ir para a Copa do Brasil... Quagliarella e Giovinco verão de casa com certeza e por capricho, pois qualidade tem mas dificilmente serão usados por Conte.