quarta-feira, 31 de julho de 2013

Antonio Conte alfineta rivais e fala sobre o que espera para a temporada

Técnico bianconero não poupou palavras no seu dia (foto: LaPresse/Tuttosport.com)


No dia do seu aniversário, completando 44 anos, o técnico bicampeão da Itália com a Juventus - Antonio Conte - deu uma entrevista ao site oficial do clube e que foi transcrita pelos principais jornais italianos, onde falou sobre adversários, jogadores, mercado, técnicos, enfim... Suas ideias para a temporada do futebol europeu que começa aos poucos, além de sua permanência na Juve.


OS PRETENDENTES AO TÍTULO - "O mercado segue e os valores dos clubes mudam. As equipes estão em evolução e os pretendentes ao título aumentaram. Estão sempre os três históricos: Juventus, Milan e Inter, que por tradição são obrigadas a lutar para vencer sem "SE" e sem "MAS". Depois vêm Napoli, Fiorentina e as duas equipes romanas".

EXEMPLOS DOS VELHOS, IMPRESSÃO SOBRE OS NOVOS - "Buffon falou sobre temer um relaxamento e é uma paúra que deve acompanhar todo ano, para acontecer justamente o oposto. É uma mensagem minha, do clube, do grupo de torcedores e dos jogadores que estão comigo há anos, como disse Buffon. Não estaremos em sintonia se alguém se sentir já vencedor. Me agrada muito que o capitão falou isto deste modo. Ele e os outros rapazes que fazem parte da história recente da Juve devem dar bom exemplo e empolgar os recém chegados, por isso com eles serei feroz. Recém chegados que também me impressionaram. Ouvi falar tanto de Tévez, também coisas menos positivas, mas quem dizia evidentemente não conhecia bem o rapaz: Disponível, excepcional, trabalhando muito. É um prazer ver ele, assim como Llorente e Ogbonna que são atletas exemplares".

A QUEDA DA INTER APÓS O 'TRIPLETE'" - "Briga com o clube? Na verdade nem aconteceu. Simplesmente é um dever nosso após cada ano um diálogo para nos escutarmos. Com o presidente Agnelli, com os diretores Marotta e Paratici sempre um relacionamento limpo, quando saímos daquela reunião sabíamos que a Juventus estava pronta para continuar a crescer. E, atenção, crescer é diferente de vencer: Pode-se vencer e não crescer, como aconteceu com a Inter de 2009, mas isso não nos interessa. Por que aconteceu o que houve depois do ano do triplete? Então, eu prefiro construir e crescer: A nível de resultados e nível econômico coisa que num futuro pode permitir seguir lutando e abrir mais as carteiras com gastos justos. Agora a disponibilidade não há: Por isto estamos operando de maneira atenta, com tempestuosidade. Por enquanto gastamos menos do que as equipes que falei antes já que trouxemos três jogadores gastando € 22 milhões".

HIERARQUIA NÃO EXISTIRÁ - "Se é a minha melhor Juve? Bem, é inevitável que a situação vá melhorando ainda mais com o tempo. Queríamos alçar o nível de competição interna e o fizemos. A Juventus deve voltar a pensar grande, então os jogadores devem saber que somente quem merece, jogará. Nada preferencial. E ninguém entendeu errado porque não temos hierarquia. As coisas mudam todos os dias. Se são mais ou menos simpáticos... São simpáticos os que me fazem vencer".

FORMAÇÃO PREFERIDA - "Fiz tantos treinamentos fechados porque a nível didático devo fazer os jovens acompanhar os demais, os guiando pela mão. Se tem três mil vendo o treino fica mais difícil. Quanto a tática, a base do nosso princípio de jogo são a posse de bola, alta intensidade, manobras diversas e equilíbrio. O atual 3-5-2 me parece melhor para o elenco. O primeiro ano teve o 4-3-3, mas neste momento não tenho um ponta direita, então... É inútil que eu vos diga mas já expressei meus pensamentos a quem deveria. Se tivermos a possibilidade, atuaremos, senão ficaremos só com este esquema. Outros reforços dependem do mercado em saída e isto só a diretoria pode dizer".

DIFERENÇA DOS DEMAIS GRANDES EUROPEUS - "Descobriremos qual a diferença de nível que estamos para os demais europeus, mas sei que fizemos um grande trabalho nos últimos três anos, colocando as coisas no lugar. E não me finco aqueles que dizem que gastamos tanto dinheiro. Desde quando viemos pra Juve, gastamos quase o mesmo que vendemos. A partir do meu primeiro ano, quando vencemos o Scudetto usando poucos jogadores, entre estes Pirlo de graça. Naquele campeonato o Milan tinha Ibrahimovic, o Napoli dos três tenores (trio formado por Cavani-Lavezzi-Hamsik era chamado assim). Na minha gestão nunca gastamos tanto. Outros dizem que a Juve é sólida, que pode investir... Mesmo Guardiola que tá no Bayern München diz isso, mas se vê que ficou nos tempos do Brescia. Para nós vale o princípio do ano zero: No senso que entre entradas e saídas o valor deve fechar em zero, ao menos por enquanto. Quem não entendeu, é melhor que se preocupe só com a própria equipe. Se me refiro a alguém? Bem, eu digo somente que outras vezes alguém coloca as coisas dos outros expostas pra meter as mãos à frente dos olhos e cobrir os próprios erros (se referindo ao atual técnico da Inter, Walter Mazzarri, que há algum tempo disse que a Juve de Conte venceu por causa dos altos gastos)".

LAZIO E SUPERCOPA - "Calendário da A e mando da SuperCopa? Não entendo. Podíamos jogar em casa como campeões da Itália ou em campo neutro (como o regulamento sugere), jogaremos na casa deles! Tá bom: Eles dizem que querem vencer, veremos quem será o mais forte".

TÉCNICO-MANAGER - "De maneira simples, tenho um belíssimo relacionamento com Andrea (Agnelli) e o clube. Me é ilustrado o que se pode fazer, de bom e de ruim. Prefiro seguir sendo parte integrante das decisões que devem ser feitas".

CONTRATO - "Penso que está bom assim, tenho ainda um outro ano. Como sempre disse, eu na Juve sinto-me em casa. Se tenho estímulos, fico, do contrário...".
Antonio Conte e a sua Juventus enfrentarão os o Everton por um torneio amistoso nos Estados Unidos, o jogo acontecerá nesta madrugada aqui no Brasil.