quarta-feira, 13 de junho de 2012

Moggi fala para o CanaleJuve.it

O caso do depoimento de Tavaroli ainda dará muita conversa e audiências e Moggi já deu uma entrevista exclusiva ao CanaleJuve.it sobre as revelações. Confira então o que foi dito pelo ex-cartola nesta tarde:


CJ: Diretor, as palavras de Tavaroli não deixam espaço para dúvidas ou interpretação. O que podes dizer?
LM: "Eram coisas evidentes já há seis anos. A coisaa estranha que me pergunto é que um certo diretor da Federação (FIGC) nunca exigiu as suas palavras sendo agora um ex-conselheiro diretivo da Telecom e membro do conselho administrativo da Inter... Tavaroli simplesmente disse o que eu já sabia. Me espiavam e a Inter tinha consciência de tudo".

CJ: Como pode o computador de Tavaroli sair de Milano pra Roma, ainda mais em um lugar de um certo coronel Auricchio...? Não lhe parece que as descobertas não terão fim?
LM: "É uma vergonha sem fim. Agora que estão chegando as confirmações que sempre suspeitei. O objetivo deles era claro, tirar a Juventus. Quem vence muito evidentemente irrita os outros".

CJ: "Tendo fatos que remetem a 2006, tem o problema da prescrição. Entendes que como é um caso extremo, o caso deve ser revisto no âmbito esportivo?
LM: "Creio que do ponto de vista da Federação de futebol, as coisas não podem ficar assim. Esta situação é mais grave que o Scommessopoli. Destruiram economicamente uma equipe do topo do futebol mundial junto de seus dirigentes de maneira indigna.
Se tiverem um pouco de bom senso, terão que reabrir o caso pelas declarações de Tavaroli e mandar a Inter pra B. Longe de se declarar incompetente, a FIGC deveria agir. Se ninguém tiver coragem de agir, daí temos mesmo que ficar em casa, sem futebol, porque futebol nessa condição é culpa de quem comanda
".

CJ: Sobre o meio adotado pela Juventus, parece que demonstrou falta de respeito no passado.
LM: "Seguramente alguns terão de refletir sobre o dito naquele tempo. Manda pra B, somos os culpados... Andrea Agnelli deve continuar a sua batalha. Estou com ele, conhecendo-o, sei que irá adiante até o fim".