sexta-feira, 8 de junho de 2012

Entrevista de Nedved ao TuttoSport.



Dia especial na redação do jornal torinese TuttoSport. Na edição de hoje, uma entrevista exclusiva com o conselheiro técnico, ex-jogador e verdadeiro ídolo da história juventina, Pavel Nedved. Vamos então a alguns pontos:


"Até um tempo atrás, os torcedores me pediam pra voltar. Eu até pensava porque adoro jogar, agora não, sou reconhecido com o dirigente e me pede para trazer grandes jogadores e eu entendo esse desejo do torcedor e digo que podem ficar tranquilos com o trabalho que estamos fazendo e temos ideias claras. Não dormiremos para conseguir".

"O que faço? Bom, no início sofri pra me achar como Lippi sofreu pra me colocar no lugar certo quando cheguei (risos). Eu ajudo em diversos setores como no mercado e avaliador, por exemplo. É fácil avaliar o jogador só pelo que acontece domingo, durante o jogo. Durante a semana é tão importante quanto".

"A vitória como dirigente é igualmente intensa. Chorei muito, vibrei muito. A emoção é diferente mas igualmente satisfatória".

"Trabalhar com Agnelli é muito bom, ele trabalha muito, é dedicado, demonstra de cara o quão sacrificante e importante o trabalho tem que ser se queres alcançar algo grande".

"Gigi (Buffon) e eu temos o papel de explicar e mostrar aos jovens a importância da juventinidade. Senti uma coisa diferente, um ar diferente, desde o primeiro dia aqui, é inexplicável".

"A mudança de Conte no clube foi igualmente técnico-tática e psicológica. Vidal é um exemplo do primeiro aspecto. Trabalhar tão bem com jogadores que tiveram anos anteriores ruins não é fácil e nisso, o Juventus Stadium também ajudou".

"Se eu penso em como seria jogar no Juventus Stadium? Penso sempre, acho que teríamos ido melhor na Champions. Nas temporadas de Capello, saímos com empates contra o Liverpool e o Arsenal, daria uma ajuda, certamente ganharíamos esses jogos. Éramos o melhor time da Europa mas não conseguimos o tíulo da UCL".

"Vencer a UCL é meu grande sonho, mesmo como dirigente, quero tocá-la! Temos que reforçar o grupo em todos os aspectos para as três competições que teremos na próxima temporada. Parece fácil mas não é. Temos que gastar bem".

"É verdade, certos nomes são descartados também por questões comportamentais, também pelo bem do grupo. Não precisam necessariamente serem experiente para a UCL, a experiência não se adquire sozinho".

"Nunca pensei em ser treinador, sinceramente".

"Entre os principais campeões, acho que estamos atrás do Real e do City pelos treinadores e grupos consolidados. Estamos junto do Borussia que faz trabalhos espetaculares com os jovens".

"É difícil igualar propostas de certos times mas o dinheiro não e um projeto que faça o jogador se sentir importante, o estádio, o Scudetto e a Champions ajudam bastante".

"De Ceglie é um jogador pra seleção. Agora ou amanhã estará lá".

"Mercado difícil mas sei o que o torcedor quer e eu também quero uma Juve com 11 fenômenos".

"CalcioScomesse? Estou preocupado. Me parece que os italianos são masoquistas. Sempre surge algo polêmico. Buffon e Conte? São pessoas limpas".

"Não me preocupo com o que dizer para voltar a vencer... Conte saber o que fazer para vencer novamente".

"Não sei mesmo onde jogará Del Piero".

"O meu agente (Mino Raiola) chegou a se instalar na minha casa pra me convencer a jogar na Internazionale. Até hoje ele me diz o quanto perdeu de dinheiro com a minha recusa mas tá louco! Eu com a camisa da Inter?"

Fonte: Tuttosport, edicão desta sexta.